jornal influente

Thursday, June 01, 2006

dança cigana

DANÇA CIGANA

Desde criança os ciganos ouvem e dançam as seguidillas, a rumba, as alegrias e o flamenco - ritmos e sons tradicionais - produzidos pelas guitarras, violinos, violões, acordeões, címbalos, castanholas, pandeiros, palmas das mãos e batidas dos pés, que aprendem desde cedo com parentes e amigos nas festas em acampamento.
Não existem ciganos profissionalizados através da dança cigana e sim aqueles que fazem apresentações apenas para divulgar esse lado tão belo e cheio de magia dessa tradição que a todos fascina.
A dança cigana não é portanto, encarada como um ofício pelos ciganos. São representadas por profissionais de balé não-ciganos. Ciganos não freqüentam academias nem aulas de dança, pois quando dançam, o fazem com a alma, o coração e os movimentos naturais do corpo, sem nenhuma coreografia pré-concebida.
Marcar uma coreografia, para o cigano, é prende-lo; é não dar liberdade para os seus movimentos. Por outro se a colocassem dentro de uma coreografia, com certeza, cortariam grande parte da emoção espontânea e do inestimável encanto que ela nos transmite quando dança com toda a sua desenvoltura, arte e beleza.
A história da dança oriental está intimamente ligada à história dos ciganos. Eles vieram da Índia e emigraram até a Espanha. Por todos os países que passavam, assimilavam palavras de idiomas locais. Em cada país eram chamados por outros nomes.

O povo cigano era orgulhosos por manter suas tradições. Eram muito individualistas e leais à instituição familiar.

0 Comments:

Post a Comment

<< Home