jornal influente

Tuesday, June 06, 2006

FEIRA DE ARTESANATO DE BELO HORIZONTE



A Feira HIPPYE de Belo Horizonte como é chamada na intimidade, surgiu em1969, na Praça da Liberdade. Idealizada por um grupo de artistas mineiros , a feira logo se tornou um ponto de encontro de várias gerações e despertou a atenção dos turistas para a diversidade dos trabalhos expostos.

Com o grande aumento de expositores extrapolando os limites da praça, a feira foi transferida para a Avenida Afonso Pena em 1991.

Hoje são aproximadamente cerca de três mil expositores, com grande variedades de produtos.
São encontrado na feira além de artesanato, roupas, bijuterias ,moveis decorativos..., além das pedras preciosa, que marcam a historia e cultura do Estado.

O artesanato mineiro também aparece como ponto forte e ocupa vários espaços na cidade, de feiras populares a shopping-centers.

A Feira HIPPYE acontece aos domingos , pela manhã , com grande qualidade e preço, oferecendo a todos boas oportunidades de boas compras.

Ronaldo Thyago.

Volta
Foto Site: Belotur.

Thursday, June 01, 2006

Capoeira, mistura de ginga, malícia e muita beleza nos movimentos.

Por Ronaldo Thyago.

A capoeira é dança, jogo e luta. Tudo isso ao mesmo tempo. Por isso é tão complexa, tão rica e tão surpreendente. Luta dissimulada, disfarçada em brinquedo, jogo de habilidade física, beleza e muita malícia.

A capoeira é uma manifestação da cultura popular brasileira que reúne características bem peculiares: mista de luta, jogo, dança, praticada ao som de instrumentos musicais (berimbau, pandeiro e atabaque), palmas e cânticos. É um excepcional sistema de auto defesa e treinamento físico, destacando-se entre as modalidades desportivas por ser a única originalmente brasileira e fundamentada em nossas tradições culturais. Acreditamos que a capoeira veio da África, mas alguns estudiosos dizem, que foi criada no Brasil pelos escravos na sua luta pela liberdade.

O que se sabe é que na África existia uma dança que era praticada com bastante violência. Esse jogo fazia parte de um ritual de passagem da infância para a vida adulta, onde os negros lutavam em um pequeno recinto e os vencedores poderiam desposar as meninas da tribo.

Os negros vindos para o Brasil eram de todas as partes da África. Principalmente de Angola, onde os negros Bantos, diziam-se mais fortes e ágeis, por isto teriam mais aproveitamento no trabalho. Esses negros deram origem à capoeira, daí o nome Capoeira de Angola.

Candomblé deixa de ser um culto exclusivo de grupos negros e passa a ser uma religião de muitos brasileiros.


Por Ronaldo Thyago.

O Candomblé e as demais religiões afro –brasileiras, formaram-se em diversas áreas do brasil com diferentes ritos e nomes .

Desde o início as religiões afro-brasileiras formaram-se em sincretismo com o catolicismo, e em grau menor com a s religiões indígenas. O culto católico aos santos, numa dimensão popular, ajustou- se ao culto dos africanos. A umbanda espalhou-se por todas as regiões do pais, sem limites de classe, raça, cor , de modo que todo o país passou a conhecer.

O Candomblé era caracterizada uma religião exclusiva dos grupos negros, descendentes de escravos. Mas já espalhou por todos os lugares e grupos , como9 acontecera com a umbanda, deixando de ser exclusiva do segmento negro , passando a ser uma religião para todos .

O candomblé encontrou condições sociais, econômicas e culturais muito favoráveis para o seu renascimento num território novo, em que a presença de instituições de origem negra até então pouco contavam.
Novos terreiros de orixás foram se criando, podiam ser encontrados pobres de todas as origens étnicas e raciais. Eles se interessavam pelo o candomblé, e assim os terreiros cresceram às centenas.

dança cigana

DANÇA CIGANA

Desde criança os ciganos ouvem e dançam as seguidillas, a rumba, as alegrias e o flamenco - ritmos e sons tradicionais - produzidos pelas guitarras, violinos, violões, acordeões, címbalos, castanholas, pandeiros, palmas das mãos e batidas dos pés, que aprendem desde cedo com parentes e amigos nas festas em acampamento.
Não existem ciganos profissionalizados através da dança cigana e sim aqueles que fazem apresentações apenas para divulgar esse lado tão belo e cheio de magia dessa tradição que a todos fascina.
A dança cigana não é portanto, encarada como um ofício pelos ciganos. São representadas por profissionais de balé não-ciganos. Ciganos não freqüentam academias nem aulas de dança, pois quando dançam, o fazem com a alma, o coração e os movimentos naturais do corpo, sem nenhuma coreografia pré-concebida.
Marcar uma coreografia, para o cigano, é prende-lo; é não dar liberdade para os seus movimentos. Por outro se a colocassem dentro de uma coreografia, com certeza, cortariam grande parte da emoção espontânea e do inestimável encanto que ela nos transmite quando dança com toda a sua desenvoltura, arte e beleza.
A história da dança oriental está intimamente ligada à história dos ciganos. Eles vieram da Índia e emigraram até a Espanha. Por todos os países que passavam, assimilavam palavras de idiomas locais. Em cada país eram chamados por outros nomes.

O povo cigano era orgulhosos por manter suas tradições. Eram muito individualistas e leais à instituição familiar.

Monday, May 29, 2006

CULTURA DO BALLET



A dança é a mais antiga das artes criadas pelo homem. Nas pinturas das cavernas pré-históricas, podemos ver a tentativa dos primeiros artistas de mostrar o homem primitivo dançando instintivamente, usando seus movimentos e gestos para agradar vitórias, celebrar alguma festa, enfim, o homem dançava em cada manifestação de vida.


A dança, como arte de divertir, surgiu com o teatro grego que incluía o canto e a pantomima nos seus espetáculos dançados: os gregos foram os primeiros a usar a dança e os gestos para explicar as partes complicadas das histórias contada. Os antigos romanos combinavam música e dança com acrobacias e números de circo para ilustrar fábulas populares.


Não só na Grécia e em Roma, mas também no Egito antigo a dança foi desde muito cedo a maneira de celebrar os deuses, de divertir o povo e a partir desse ritual se desenvolveram os elementos básicos para arte teatral atual.
O ballet- clássico é o desenvolvimento e a transformação dessa dança primitiva, que baseava-se no instinto, para uma dança formada de passos diferentes, de ligações, de gestos de figuras previamente elaborados para um ou mais participantes.


A história do ballet começou há 500 anos atrás na Itália. Nessa época os nobres italianos divertiam seus ilustres visitantes com espetáculos de poesia, música, mímica e dança. Esses divertimentos apresentados pelos cortesãos eram famosos por seus ricos trajes e cenários muitas vezes desenhados por artista célebre como Leonardo da Vinci. O primeiro ballet registrado aconteceu em 1489, comemorando o casamento do Duque de Milão com Isabel de Árgon.


Os ballets da corte possuíam graciosos movimentos de cabeça, braços e tronco e pequenos e delicados movimentos de pernas e pés, estes dificultados pelo vestuário feito com material e ornamentos pesados.
Era importante que os membros da corte dançassem bem e, por isso, surgiram os professores de dança que viajavam por vários lugares ensinando danças para todas as ocasiões como: casamento, vitórias em guerra, alianças políticas, etc.

Quando a italiana Catarina de Medicis casou com o rei Henrique II e se tornou rainha da França, introduziu esse tipo de espetáculo na corte francesa, com grande sucesso.O mais belo e famoso espetáculo oferecido na corte desses reis foi o "Ballet Cômico da Rainha", em 1581, para celebrar o casamento da irmã de Catarina.

Esse ballet durava de 5 a 6 horas e fez com que rainha fosse invejada por todas as outras casas reais européias, além de ter uma grande influência na formação de outros conjuntos de dança em todo o mundo.


O ballet tornou-se uma regularidade na corte francesa que cada vez mais o aprimorava em ocasiões especiais, combinando dança com música, canções e poesia e atinge ao auge de sua popularidade quase 100 anos mais tarde através do rei Luiz XIV. volta




Reportagem: Ronaldo Thyago
Fotos:
Matéria: On Line

DANÇA ÁRABE



As variadas formas de danças populares tradicionais que sobrevivem isoladamente nas diversas regiões do país transcendem o universo estético da inquietação criativa contemporânea, detendo funções sociais específicas imbricadas nas comunidades que as produzem.
Dança do Ventre Tradicional e Danças Folclóricas Árabes


Dança oriental proposta é a Dança do Leste (Racks el Charks, em árabe), popularmente conhecida como a dança do ventre - tradução de Belly Dance, nome dado pelos estúdios hollywoodianos, o qual não se adequar muito bem, pois os movimentos executados na dança não se restringem à área do ventre.


É uma dança, que, quando bem executada, proporciona um espetáculo belo devido a graciosidade dos movimentos, leveza dos gestos, a música exótica e aos trajes suntuosos.

Surgida no Antigo Egito, era no princípio praticada pelas sacerdotisas para reverenciar algumas deusas ( Íris e Bath) em rituais ligados a fertilidade. Posteriormente a Dança do Ventre popularizou-se e foi levada para os palácios e haréns perdendo assim um pouco do seu caráter sagrado. A tradição desta dança mística é mantida até hoje, principalmente entre os povos de origem árabe, sendo realizadas em ocasiões festivas. volta




Reportagem: Ronaldo Thyago
Foto: Site
Matéria: On Line

Tuesday, May 02, 2006

DANÇA AFRO


Dança ritmada nos toques de atabaque, coreografada com movimentos de expressão corporal, inspirados nas tribos africanas que migraram pro Brasil. Descalços, roupas coloridas e muitos adornos. Movimentos elásticos do tronco, flexões e extensões acentuadas como felinos. Saltos leves, quase alados. Muita coordenação motora e rítmica, expressão de corpo e rosto. Como guerreiros prontos para o ataque, prontos para a dança.

Tumbadoras, atabaques, bongôs, chiquerês, são alguns dos instrumentos usados para dar ritmo aos movimentos. A dança se mostra em sua manifestação primeira: a da alegria, do prazer, da comunicação com o divino que surge naturalmente por intermédio da magia do som da dança do coração afro.
A dança AFRO resulta da junção de dois estilos de Danças:A energia dos movimentos fortes do AFRO, unida à flexibilidade e ao swing do JAZZ contemporâneo. Utiliza, sobretudo as pernas e o tronco, passa mensagens com os braços e as mãos.

A dança se apresenta como uma maneira eficiente de atingir nossos ideais na medida em que a gestualidade atua como importante marcador da cultura, ou seja, através da linguagem do corpo, que movimenta código densos de significados, acessamos’ símbolos culturais. volta

Tuesday, April 04, 2006

COMO ESCREVER NA WEB

A internet como mídia é esta muito recente, e a maioria das pessoas que escrevem nela criam seus próprios estilos. E todos os bons escritores na web foram copiados. Mas até eles erravam, e seus erros também eram copiados.
O texto como escrever bem no estilo da web", de Steve Outing, dá muitas dicas de como fazer textos para web. Outing explica que os leitores olham os sites com outros olhos, como pouco interesse, com pouca atenção. E não é fácil ficar no mesmo site por muito tempo, então tudo tem que ser escrito da maneira mais explicativa e bem resumido.Ele sugere que os parágrafos sejam mais curtos possível, e que não ultrapassem a 75 palavras, que as frases sejam curtas.
Quanto maior o parágrafo, mais difícil fica a leitura, dificilmente o leitor completara a leitura.Evite tentar enfeitar o texto, o leitor de Internet não esta interessado em belos e grandes textos, mas sim um texto claro e explicativo, de onde em pouco tempo ele terá toda informação que procura se seu parágrafo ficou grande, tente dividi-lo.No jornalismo on-line evite usar metáforas, isso pode confundir o leitor, que pode pular de um parágrafo para outro e não entender nada.
Quando estiver escrevendo para web, lembre-se que seu texto estará disposto para todo mundo de vários países diferentes, então seja ponderado.
Sempre que possível imprima seu textos e leia em voz alta de preferência para outras pessoas, pois nessa leitura os erros será facilmente cercados.
Como diz o autor bem no final do livro, que ensinam como escrever bem para web, e se você estiver interessado em aprimorar seus conhecimentos corra à uma livraria e escolha o seu.

Tuesday, March 07, 2006

Como criar um site

Hoje em dia, fazer um site na Internet é hoje muito mais simples do que no passado. Existem muitos utilitários que facilitam a vida de quem quer ter sua página na "net".Com produtos como o Microsoft FrontPage ou o NVU , este último gratuito, você pode criar e editar sites simples como se editasse um documento de texto.


Não é preciso nenhum conhecimento de linguagem de programação ou mesmo de comandos html.Outras ferramentas que podem ser utilizadas para este fim são as suítes de automação de escritório como o Microsoft Office ou o Open Office.org . Nestes dois casos você pode, a partir de um documento de texto ou apresentação de slides, gerar uma página WEB.


Para quem deseja se aprofundar no assunto, uma dica é procurar em escolas de Informática cursos de montagem de sites. Neste caso, além de aprender sobre linguagens para criação das páginas são ensinados conceitos de design e tratamento das imagens que serão publicadas.

Tuesday, February 14, 2006


A violência começa na mente de cada um de nós por uma idéia fantasiosa de que somos separados do mundo. Por isso, surge o apego a tudo que nos dá prazer e a rejeição a tudo o que nos ameaça. Sejam coisas, idéias ou pessoas. Do apego, surge o medo da perda, a desconfiança, a intolerância no plano das emoções, o que afeta o corpo, levando ao estresse, à doença e ao sofrimento, aumentando ainda mais a sensação de sermos separados. Está criando um circulo vicioso repetitivo.
O ser humano desajustado cria , por sua vez, uma sociedade desajustada, com uma cultura de violência e guerra, com fragmentos mutidisciplinar do conhecimento, produto de uma dominação do masculino radical e uma repressão do amor feminino, com extremismos e consequente intolerância política, religiosa e nacionalista e com o predomínio de valores destrutivos.